Enac-45
ou
JUBILEU DE SAFIRA: UM ENCONTRO A SER LEMBRADO

Os dias 26, 27 e 28 de julho de 2013 levaram a Barbacena um grupo de nada menos que 141 ex-alunos da Turma de 68 da ESCOLA PREPARATÓRIA DE CADETES DO AR. Motivo: a comemoração – mais do que devida e justa – dos quarenta e cinco anos de passagem desses audazes rapazes por aquela escola.

          

Há quarenta e cinco anos, nós, meninos oriundos dos mais diversos rincões desse Brasilzão, chegávamos à EPCAR levando conosco o sonho maior de Ícaro: voar como os pássaros. Com esse sonho levávamos também incertezas, receios, anseios, e, sobretudo, a fé e a esperança de atingir nosso objetivo.  Cerca de um terço da Turma conseguiu atingir a meta - tornaram-se oficiais-aviadores. Os demais rumaram para qualificações das mais diversas, sem, porém, deixarem de se tornar homens de bem, capazes e úteis à sociedade. E isso, para nós, hoje, além da amizade que nos une, é o que mais importa.

 

           A amizade e união da Turma, iniciada naquela época, permanece firme até os dias de hoje. Prova disso foi estarmos de volta à escola, depois de tanto tempo, para essa comemoração. Foram três dias de reencontros e alegria, a começar pelo jantar de confraternização na Cantina Mineira. Nela, ponto já consagrado pela Turma, os abraços se iniciaram como que fazendo a abertura do evento. Ex-alunos e familiares, indistintamente, se saudaram e se puseram a colocar as conversas em dia. Era só o começo...

 

           No dia seguinte, sábado, bem cedo, já estávamos na escola para uma reunião no auditório, com distribuição de coletes para o nosso tradicional desfile que se seguiria no Pátio da Bandeira. As boas-vindas nos foram dadas pelo Comandante da EPCAR, Brigadeiro do Ar Alex Picchi Izmailov, que expressou sua satisfação em nos receber, ressaltando que devia muito da sua formação a alguns da Turma ali presentes. Lembrou também que a Turma de 68 foi a pioneira quando da criação do PAVITEC e do ginásio desportivo da Escola. Após as palavras do comandante houve a entrega de uma pequena placa de agradecimento da Turma à equipe da EPCAR que nos ajudou a realizar o evento. A Tenente Vanessa, relações públicas da EPCAR, foi quem recebeu, das mãos do Monte (68-434), a placa em nome da equipe.

 

Ainda no auditório, nosso querido coordenador Temístocles anunciou a sua renúncia à coordenação da Turma, alegando motivos particulares e também para preservar a sua saúde. Embora lamentando o ocorrido, Pascoal (68-018) pediu que respeitássemos a decisão do nosso  Guru e sugeriu que uma comissão fosse montada para conduzir a Turma daqui pra frente. A decisão ficou em aberto, pois, afinal, lidar com velhinhos é tarefa árdua...!

 

Piza anunciou a comemoração dos doze anos de reuniões do pessoal de Sampa no restaurante O Compadre. Aproveitou para reiterar o convite já feito através do google groups para que participemos desse encontro.

 

Por último, foi dada a palavra ao nosso querido amigo Tenente-Brigadeiro Pohlmann, que não só expressou o sentimento de grande emoção por estar ali presente, como ressaltou que nem ele nem o Machadinho, também presente, faltariam a esse encontro histórico. Solicitado, falou ainda da sua sensação ao receber o Papa, com a esposa e a filha, em São José dos Campos...

 

Pouco mais tarde, já reunidos no Pátio da Bandeira, tivemos um toque de silêncio em menção aos nossos queridos amigos que já partiram; tivemos o hasteamento da insígnia da turma feito pelo Pohlmann e pelo Machadinho; como tivemos a entrega de uma placa de agradecimento, feita pelo Justiniano (68-317), à Banda da EPCAR, representada pelo seu mestre, 1º Sargento Ailton Bispo de Oliveira Pacheco. Logo após, tivemos o tradicional desfile da tropa, com aquela mesma vibração dos anos 60. No palanque, Coronel Segadães, já que os dois tenentes-brigadeiros da Turma fizeram questão de desfilar com a tropa.

 

Terminado o desfile houve o descerramento da placa comemorativa dos quarenta e cinco anos, no placódromo. (Vale lembrar que, com essa, já são oito as placas da turma existentes naquele local).

 

Antes de partirmos para o almoço posamos para a nossa foto coletiva, como sempre, à frente da Escola, mas dessa vez explorando as escadas de acesso à Sala do Comando.

 

O almoço de confraternização aconteceu no Cassino dos Oficiais, onde alguns lances merecem menção, tais como a presença de música ao vivo; a exposição de fotos para venda, tiradas pelo fotógrafo oficial do evento; a presença da escritora Márcia Paschoallin, convidada pela Turma, que levou vários exemplares do seu livro Bela Isabel, Isabelinha para venda, com direito a autógrafo; a entrega de um diploma, expedido pela Associação dos Ex-alunos da EPCAR, saudando a Turma pela data comemorativa, feita pelo Werneck, atual Presidente da AEPCAR; e, como parte do kit comemorativo, a entrega de uma miniatura do T-23, além de uma sacola para as esposas, a cada componente da Turma, como lembrança dessa data.

  

À noite voltamos ao Auditório para duas apresentações, uma feita pelo Romar, outra feita pelo Affonso, que fez questão de mencionar que o que apresentaria ali era, em muito, fruto do esforço do Jugno. (Aliás, por razões que desconhecemos, Jugno não compareceu). Romar nos fez rir muito com um monólogo engraçadíssimo, de sua autoria, satirizando alguns integrantes da Turma. Afonso apresentou a história do Tenente Segadães – na verdade uma bela biografia -, com várias fotos tiradas durante a trajetória do nosso ex-comandante de esquadrão, que completa cinquenta anos de voo sem acidentes. Uma nota escrita pelo Comandante da Aeronáutica e dirigida ao Coronel Segadães foi lida no auditório. De pé Segadães foi aplaudido por todos. Ele recebeu ainda, das mãos dos Tenentes-Brigadeiros Polhmann e Machado, como presente da Turma de 68, uma miniatura do T-23 numa caixa de acrílico.

 

O que se seguiu foi um coquetel no Cassino dos Oficiais, onde o Aleixo (68-139) autografou vários exemplares do seu novo lançamento, o livro Sandra A Bromélia Lilás. O ambiente foi dos mais agradáveis.

 

O domingo ficou livre para possíveis passeios das famílias pela cidade, ou mesmo por outros lugares tais como Tiradentes, São João Del Rey, etc. O que se via então eram amigos se abraçando e se despedindo nos hoteis, com os desejos de um bom retorno aos nossos lares.

 

Aproveitamos a oportunidade para fazer vários agradecimentos, alguns dos quais muito especiais:

·         ao Comandante da EPCAR, bem como aos seus comandados, pela gentil recepção que tivemos;

·         à dobradinha Affonso-Hamilton. O primeiro acompanhou, junto ao fabricante, a confecção de nossas maquetes e providenciou a entrega em Barbacena. O Hamilton as recebeu, guardou e deu elevado apoio às nossas atividades na EPCAR;

·         ao 268 De Paula e ao 271 Mattar pelo substancial apoio financeiro;

·         aos Pré-Cadetes 141 Madureira, 358 Leiras, 086 Rego, 095 Perfeito e 398 Paulo Sergio, pelos valores depositados além do estabelecido. (Os depósitos “In Memoriam” nos fizeram lembrar dos seguintes companheiros: 093 Villar, 147 Delgado, 355 Pimentel, 357 Fonseca, 361 Roveri, 362 Claudio, 400 Cantuária, 71-215 Pedrosa, 71-223 Gilvan);

·         ao 317 Justiniano e ao 321 Ewerton, pela grandiosa ajuda na distribuição das maquetes, e ao 119 Gaya, que, além disso, ainda fez um controle do numerário apurado na venda dos bonés e das maquetes, facilitando em muito o trabalho da comissão organizadora. 

·         ao 452 Brabo, que levou pratos de petiscos para a classe trabalhadora;

·         aos nossos ex-professores e instrutores que gentilmente aceitaram o nosso convite e participaram dessa confraternização;

·         à comissão organizadora do evento, constituída pelo Temístocles, Heleno, Elanir, Werneck, Hamilton, Ewerton e Justiniano;

·         finalmente a todos os ex-alunos e familiares que tão alegremente abrilhantaram a festa. Lembrando que a Turma J foi a que mais levou representantes; aos seus componentes, nosso reconhecimento e parabéns!

É ruim citar nomes porque corremos o risco de esquecer alguém. Entretanto, é mais aceitável esquecer um ou outro do que não mencionar os muitos que vêm à nossa lembrança. Perdoem-nos os que não foram lembrados. 

Mas o que fica, mesmo, desse encontro, são as lembranças dos ótimos momentos que nos foram proporcionados nesses três dias, traduzidos nas muitas fotos que tivemos oportunidade de registrar e que podem ser vistas em seis álbuns. Basta clicar nos links seguintes:

https://picasaweb.google.com/santos.oliveira.ca/ENAC45NaCantinaMineiraAlbumI?authkey=Gv1sRgCI-qhr2tjtDRkgE

https://picasaweb.google.com/santos.oliveira.ca/ENAC45ReuniaoNoAuditorioNaManhaDeSabadoAlbumII?authkey=Gv1sRgCKmsy5T7g-SvtgE

https://picasaweb.google.com/santos.oliveira.ca/ENAC45DoPatioDaBandeiraAFachadaDaEscolaAlbumIII?authkey=Gv1sRgCK326aPYyZHAGw

https://picasaweb.google.com/santos.oliveira.ca/ENAC45OAlmocoDeConfraternizacaoAlbumIV?authkey=Gv1sRgCJbh4qyZn9PGKA

https://picasaweb.google.com/santos.oliveira.ca/ENAC45ANoiteNoAuditorioAlbumV?authkey=Gv1sRgCPCWncWqzM3e-AE

https://picasaweb.google.com/santos.oliveira.ca/ENAC45CoquetelDeSabadoANoiteAlbumVI?authkey=Gv1sRgCN28nb_jk5fKlQE


Que Deus nos abençoe e que permaneçamos SEMPRE JUNTOS por muitos outros jubileus.

Com o meu abraço,

Santos Oliveira
santos.oliveira.ca@gmail.com


ENAC 45 - LEVANTAMENTO GERAL

Os documentos que comprovam a movimentação financeira, mais precisamente, os extratos bancários evidenciando os depósitos e os recibos dos fornecedores, foram examinados na reunião do Clube de Aeronáutica pelos auditores: 009 D'Araújo, 142 Corrêa Ferreira e 327 Mezini. Da mesma forma, em Miguel Pereira, a documentação foi analisada pelo 186 Álvaro e 398 Paulo Sergio.

A quem interessar é só solicitar que levaremos tudo na reunião de setembro, no CAer.


MOVIMENTAÇÃO FINANCEIRA

PRESENÇAS

ORÇAMENTO